🔥 | Latest

crescendo: This sentence has five words. Here are five more words. Five-word sentences are fine. But several together become monotonous. Listen to what is happening. The writing is getting boring. The sound of it drones. It's like a stuck record. The ear demands some variety Now listen. I vary the sentence length, and l create music. Music. The writing sings. It has a pleasant rhythm, a lilt, a harmony. I use short sentences. And I use sentences of medium length. And sometimes when l am certain the reader is rested, I will engage him with a sentence of considerable length, a sentence that burns with energy and builds with all the impetus of a crescendo, the roll of the drums, the crash of the cymbals-sounds that say listen to this, it is important So write with a combination of short, medium, and long sentences. Create a sound that pleases the reader's ear. Don't just write words. Write music. Gary Provost sol1056: scripturient-manipulator: bookmania: Seven years after, I see you again 😚 Guys this completely changed my writing, heed it. I often do an entire draft just looking at sentence variation and oftentimes the results are absolutely transformative in the difference. If I were to list everything from Gary Provost that changed my writing, I’d just be quoting all his books back at you. If you can find a copy of Make Every Word Count, get it, read it. None of this navel-gazing about creativity; he gets into the weeds of how to use words to create stories. Brilliant stuff.
crescendo: This sentence has five words. Here are five more words.
 Five-word sentences are fine. But several together become
 monotonous. Listen to what is happening. The writing is
 getting boring. The sound of it drones. It's like a stuck record.
 The ear demands some variety
 Now listen. I vary the sentence length, and l create music.
 Music. The writing sings. It has a pleasant rhythm, a lilt, a
 harmony. I use short sentences. And I use sentences of
 medium length. And sometimes when l am certain the reader
 is rested, I will engage him with a sentence of considerable
 length, a sentence that burns with energy and builds with all
 the impetus of a crescendo, the roll of the drums, the crash of
 the cymbals-sounds that say listen to this, it is important
 So write with a combination of short, medium, and long
 sentences. Create a sound that pleases the reader's ear. Don't
 just write words. Write music.
 Gary Provost
sol1056:
scripturient-manipulator:

bookmania:


Seven years after, I see you again 😚


Guys this completely changed my writing, heed it. I often do an entire draft just looking at sentence variation and oftentimes the results are absolutely transformative in the difference.

If I were to list everything from Gary Provost that changed my writing, I’d just be quoting all his books back at you. If you can find a copy of Make Every Word Count, get it, read it. None of this navel-gazing about creativity; he gets into the weeds of how to use words to create stories. Brilliant stuff.

sol1056: scripturient-manipulator: bookmania: Seven years after, I see you again 😚 Guys this completely changed my writing, heed it....

crescendo: Acedia Nisso? uma genetica hereditaria /ACREDITANISSOOFICIAL U OACREDITANISSO @AcreditaNisso? As chamadas covinhas, são pequenas depressões naturais que existem na pele no rosto ou no queixo de algumas pessoas. Nesses lugares o tecido fibroso adere entre a pele e o osso da mandíbula (no queixo) ou entre a pele e os músculos da face (no rosto). A pele é ‘repuxada’, causando uma pequena retração que fica mais acentuada quando as pessoas sorriem. Hoje em dia as covinhas são sinônimos de um rosto mais bonito e atraente. Mas, de certa forma, pode ser considerado um defeito congênito e mostra que as “malformações” nem sempre são ruins. As pessoas que tem covinhas apresentam o músculo menor em comprimento do que o tamanho do músculo é normal nas pessoas que não têm covinhas. Isso é causado por algumas falhas no desenvolvimento do tecido conjuntivo subcutâneo. Apesar disso, ter covinhas, ou não, não depende da sorte. O que define isso é a genética. O gene responsável é dominante isso significa que se um dos pais tem covinhas, então provavelmente os filhos terão. Portanto é simplesmente uma aquisição hereditária que é transmita de geração em geração. É possível que um bebê tenha covinhas e que elas desapareçam gradualmente conforme a criança vá crescendo, isso porque o músculo cresce com a idade e chega a seu tamanho normal, que por sua vez, favorece o desaparecimento das covinhas. Fonte: FatosDesconhecidos . Conhece alguém que tenha covinhas? Marque nos comentários! 😁 . SIGAM-ME OS BONS ➡️ @Nandinhatw 💋
crescendo: Acedia
 Nisso?
 uma
 genetica hereditaria
 /ACREDITANISSOOFICIAL
 U OACREDITANISSO
@AcreditaNisso? As chamadas covinhas, são pequenas depressões naturais que existem na pele no rosto ou no queixo de algumas pessoas. Nesses lugares o tecido fibroso adere entre a pele e o osso da mandíbula (no queixo) ou entre a pele e os músculos da face (no rosto). A pele é ‘repuxada’, causando uma pequena retração que fica mais acentuada quando as pessoas sorriem. Hoje em dia as covinhas são sinônimos de um rosto mais bonito e atraente. Mas, de certa forma, pode ser considerado um defeito congênito e mostra que as “malformações” nem sempre são ruins. As pessoas que tem covinhas apresentam o músculo menor em comprimento do que o tamanho do músculo é normal nas pessoas que não têm covinhas. Isso é causado por algumas falhas no desenvolvimento do tecido conjuntivo subcutâneo. Apesar disso, ter covinhas, ou não, não depende da sorte. O que define isso é a genética. O gene responsável é dominante isso significa que se um dos pais tem covinhas, então provavelmente os filhos terão. Portanto é simplesmente uma aquisição hereditária que é transmita de geração em geração. É possível que um bebê tenha covinhas e que elas desapareçam gradualmente conforme a criança vá crescendo, isso porque o músculo cresce com a idade e chega a seu tamanho normal, que por sua vez, favorece o desaparecimento das covinhas. Fonte: FatosDesconhecidos . Conhece alguém que tenha covinhas? Marque nos comentários! 😁 . SIGAM-ME OS BONS ➡️ @Nandinhatw 💋

@AcreditaNisso? As chamadas covinhas, são pequenas depressões naturais que existem na pele no rosto ou no queixo de algumas pessoas. Ness...

crescendo: Acedia Nisso? o uma falha genetica hereditaria /ACREDITANISSOOFICIAL g OACREDITANISSO @AcreditaNisso? As chamadas covinhas, são pequenas depressões naturais que existem na pele no rosto ou no queixo de algumas pessoas. Nesses lugares o tecido fibroso adere entre a pele e o osso da mandíbula (no queixo) ou entre a pele e os músculos da face (no rosto). A pele é ‘repuxada’, causando uma pequena retração que fica mais acentuada quando as pessoas sorriem. Hoje em dia as covinhas são sinônimos de um rosto mais bonito e atraente. Mas, de certa forma, pode ser considerado um defeito congênito e mostra que as “malformações” nem sempre são ruins. As pessoas que tem covinhas apresentam o músculo menor em comprimento do que o tamanho do músculo é normal nas pessoas que não têm covinhas. Isso é causado por algumas falhas no desenvolvimento do tecido conjuntivo subcutâneo. Apesar disso, ter covinhas, ou não, não depende da sorte. O que define isso é a genética. O gene responsável é dominante isso significa que se um dos pais tem covinhas, então provavelmente os filhos terão. Portanto é simplesmente uma aquisição hereditária que é transmita de geração em geração. É possível que um bebê tenha covinhas e que elas desapareçam gradualmente conforme a criança vá crescendo, isso porque o músculo cresce com a idade e chega a seu tamanho normal, que por sua vez, favorece o desaparecimento das covinhas. Fonte: FatosDesconhecidos . SIGAM-ME OS BONS ➡️ @Nandinhatw (ADM)
crescendo: Acedia
 Nisso?
 o uma falha
 genetica hereditaria
 /ACREDITANISSOOFICIAL
 g OACREDITANISSO
@AcreditaNisso? As chamadas covinhas, são pequenas depressões naturais que existem na pele no rosto ou no queixo de algumas pessoas. Nesses lugares o tecido fibroso adere entre a pele e o osso da mandíbula (no queixo) ou entre a pele e os músculos da face (no rosto). A pele é ‘repuxada’, causando uma pequena retração que fica mais acentuada quando as pessoas sorriem. Hoje em dia as covinhas são sinônimos de um rosto mais bonito e atraente. Mas, de certa forma, pode ser considerado um defeito congênito e mostra que as “malformações” nem sempre são ruins. As pessoas que tem covinhas apresentam o músculo menor em comprimento do que o tamanho do músculo é normal nas pessoas que não têm covinhas. Isso é causado por algumas falhas no desenvolvimento do tecido conjuntivo subcutâneo. Apesar disso, ter covinhas, ou não, não depende da sorte. O que define isso é a genética. O gene responsável é dominante isso significa que se um dos pais tem covinhas, então provavelmente os filhos terão. Portanto é simplesmente uma aquisição hereditária que é transmita de geração em geração. É possível que um bebê tenha covinhas e que elas desapareçam gradualmente conforme a criança vá crescendo, isso porque o músculo cresce com a idade e chega a seu tamanho normal, que por sua vez, favorece o desaparecimento das covinhas. Fonte: FatosDesconhecidos . SIGAM-ME OS BONS ➡️ @Nandinhatw (ADM)

@AcreditaNisso? As chamadas covinhas, são pequenas depressões naturais que existem na pele no rosto ou no queixo de algumas pessoas. Ness...

crescendo: Some souls just understand each other upon meeting. n. r. hart It's quite strange that I am made to feel weird for speaking about my life. I should be able to speak about any aspect of it, without being made to feel ashamed. Is nothing sacred? Yes it is so celebrate it. Slowly my fingers down your spine, you lie on your front yearning to be touched, I take my time. If we are to go to the spiritual realm together it cannot be quick, we must prepare body, soul & mind. So I kiss her neck, she thinks of sex, it is coming, but not yet. We dance the horizontal dance of those premeditating a crescendo of love, a human version of time travel. We play, without time on our minds, waiting for the game of spirits to unravel. She decides it's time to pause time, so we begin, she wants me deep within, we welcome each other to share everything. We are going to be here forever, this moment so significant that we will carry it from this life to the next, as we lead each other from this room in a house on what we call earth, we venture out of this place, to a spiritual experience you can only travel with another. She is clever, she knows if she whispers directions in my ear, I will take her there before me, she wants to arrive & make sure I know where I am going. Hand in hand we are inseparable, becoming one with the universe once more, she closes her eyes, I close mine & just feel. Building pace, her songs are those that all wish to sing but some never hear. Building power, as this power now shared... is doubled & we both lay in blissful pleasure leaving these bodies of flesh. Building unity, we aren't trying to create life, but regenerate each other. She pulls me closer as she starts speaking goddess languages that I have never heard yet always feel. She lets go, she tells me to come with her, I follow purposefully, as my soul leaves my body. We aren't imprisoned in human vessels for that moment of eternal reciprocity, we are somewhere else, where nothing matters, that beautiful moment of everything & nothing. Leave us there until we wake... chakabars
crescendo: Some souls
 just
 understand
 each other
 upon meeting.
 n. r. hart
It's quite strange that I am made to feel weird for speaking about my life. I should be able to speak about any aspect of it, without being made to feel ashamed. Is nothing sacred? Yes it is so celebrate it. Slowly my fingers down your spine, you lie on your front yearning to be touched, I take my time. If we are to go to the spiritual realm together it cannot be quick, we must prepare body, soul & mind. So I kiss her neck, she thinks of sex, it is coming, but not yet. We dance the horizontal dance of those premeditating a crescendo of love, a human version of time travel. We play, without time on our minds, waiting for the game of spirits to unravel. She decides it's time to pause time, so we begin, she wants me deep within, we welcome each other to share everything. We are going to be here forever, this moment so significant that we will carry it from this life to the next, as we lead each other from this room in a house on what we call earth, we venture out of this place, to a spiritual experience you can only travel with another. She is clever, she knows if she whispers directions in my ear, I will take her there before me, she wants to arrive & make sure I know where I am going. Hand in hand we are inseparable, becoming one with the universe once more, she closes her eyes, I close mine & just feel. Building pace, her songs are those that all wish to sing but some never hear. Building power, as this power now shared... is doubled & we both lay in blissful pleasure leaving these bodies of flesh. Building unity, we aren't trying to create life, but regenerate each other. She pulls me closer as she starts speaking goddess languages that I have never heard yet always feel. She lets go, she tells me to come with her, I follow purposefully, as my soul leaves my body. We aren't imprisoned in human vessels for that moment of eternal reciprocity, we are somewhere else, where nothing matters, that beautiful moment of everything & nothing. Leave us there until we wake... chakabars

It's quite strange that I am made to feel weird for speaking about my life. I should be able to speak about any aspect of it, without bei...

crescendo: A gente MUDA sim, Cecilia Sfalsin nao dos outros, mas pela necessidade do nosso nao se sente CUIDADO @Cecilia Sfalsin Essas mudanças que me aconteceram nos últimos dias não foram programadas, aconteceram e eu fui me adaptando a cada uma delas sem reclamar, pela necessidade do meu coração. Não que eu quisesse, mas eu precisava sair da zona de conforto em que eu estava para perceber que certas coisas não estavam legais pra mim e que alguns sentimentos que eu estava guardando não estavam me fazendo bem. Abri as gavetas da minha alma e fui jogando fora algumas lembranças, alguns momentos e alguns sonhos bobos que eu confesso a você que relutei para não me desfazer deles, porém compreendi que não eram pra ser e que quando as coisas são de Deus pra nossa vida, por mais lutas que a gente enfrente há uma certeza gostosa no coração de que vai dar certo, há um indício de que o final do túnel existe e de que nele há luz, há uma esperança e eu não estava sentindo isso, o meu querer estava falando muito alto e a voz do Senhor estava sendo abafada por ele. Certas decisões são doídas, mas são tão precisas na vida da gente que são por elas que descobrimos quanto tempo perdemos com o que não valia a pena e o quanto algumas pessoas são distantes de suas realidades e de suas falas bonitas e convincentes, são por elas que descobrimos que as vezes nós precisamos de nos cuidar mais para percebermos a nossa fragilidade diante de uma situação difícil, e são por elas também que a gente vai crescendo e aprendendo que roupas pequenas já não nos servem mais, que sentimentos rasos já não são bem vindos em nossa casa adentro mais pela profundidade do nosso coração e que precisamos acordar, viver, nos desapegar, nos libertar e nos amar muito também. Eu escolhi o melhor de Deus e decidi renunciar tudo que estava me distanciando DEle e de mim. (Falo de obrigações que eu mesma criei, falo de pessoas que eu amei e que por se acharem as mais perdidas de todas não perceberam a minha presença, o meu cuidado, as minhas preocupações, não valorizaram a minha amizade, não souberam ou não quiseram respeitar a minha fé. Tudo passa, e a gente acaba ficando bem, a gente acaba se sentindo aliviado(a) e algumas portas vão se abrindo pra gente também. Cecilia Sfalsin
crescendo: A gente MUDA sim,
 Cecilia Sfalsin
 nao dos outros, mas pela
 necessidade do nosso
 nao se sente
 CUIDADO
 @Cecilia Sfalsin
Essas mudanças que me aconteceram nos últimos dias não foram programadas, aconteceram e eu fui me adaptando a cada uma delas sem reclamar, pela necessidade do meu coração. Não que eu quisesse, mas eu precisava sair da zona de conforto em que eu estava para perceber que certas coisas não estavam legais pra mim e que alguns sentimentos que eu estava guardando não estavam me fazendo bem. Abri as gavetas da minha alma e fui jogando fora algumas lembranças, alguns momentos e alguns sonhos bobos que eu confesso a você que relutei para não me desfazer deles, porém compreendi que não eram pra ser e que quando as coisas são de Deus pra nossa vida, por mais lutas que a gente enfrente há uma certeza gostosa no coração de que vai dar certo, há um indício de que o final do túnel existe e de que nele há luz, há uma esperança e eu não estava sentindo isso, o meu querer estava falando muito alto e a voz do Senhor estava sendo abafada por ele. Certas decisões são doídas, mas são tão precisas na vida da gente que são por elas que descobrimos quanto tempo perdemos com o que não valia a pena e o quanto algumas pessoas são distantes de suas realidades e de suas falas bonitas e convincentes, são por elas que descobrimos que as vezes nós precisamos de nos cuidar mais para percebermos a nossa fragilidade diante de uma situação difícil, e são por elas também que a gente vai crescendo e aprendendo que roupas pequenas já não nos servem mais, que sentimentos rasos já não são bem vindos em nossa casa adentro mais pela profundidade do nosso coração e que precisamos acordar, viver, nos desapegar, nos libertar e nos amar muito também. Eu escolhi o melhor de Deus e decidi renunciar tudo que estava me distanciando DEle e de mim. (Falo de obrigações que eu mesma criei, falo de pessoas que eu amei e que por se acharem as mais perdidas de todas não perceberam a minha presença, o meu cuidado, as minhas preocupações, não valorizaram a minha amizade, não souberam ou não quiseram respeitar a minha fé. Tudo passa, e a gente acaba ficando bem, a gente acaba se sentindo aliviado(a) e algumas portas vão se abrindo pra gente também. Cecilia Sfalsin

Essas mudanças que me aconteceram nos últimos dias não foram programadas, aconteceram e eu fui me adaptando a cada uma delas sem reclamar...